Causas de disfunção – Falando com um profissional da saúde

A disfunção erétil (DE) – a incapacidade de ter uma ereção firme o suficiente para o sexo – pode ser um assunto delicado. Isso não afeta apenas a vida sexual de um homem. Pode enfraquecer sua auto-estima, seu relacionamento com seu parceiro e sua identidade masculina. Ele pode estar com raiva e com medo de que a situação não melhore.

Felizmente, o DE pode ser tratado com sucesso, geralmente com medicamentos ou dispositivos. No entanto, às vezes, direcionar a causa do ED ajuda a aliviá-lo. A DE pode estar ligada a uma série de condições – físicas e psicológicas – e chegar à raiz da questão pode trazer mudanças positivas na saúde geral e na vida sexual de um casal.

Hoje, vamos dar uma olhada em algumas das causas mais comuns da disfunção erétil e oferecer algumas dicas sobre como discutir com o médico.

Causas Físicas

Para um homem ter ereções, ele precisa ter um bom fluxo sanguíneo para o pênis. Quando ele está sexualmente excitado, os músculos relaxam e as artérias se alargam para deixar o sangue entrar. Outros vasos sanguíneos se contraem para garantir que permaneçam lá, já que o sangue é o que dá ao pênis a firmeza de que necessita para a penetração. Uma vez que a estimulação pára, ou o homem ejacula, o sangue deixa o pênis e flui de volta para o corpo.

Algumas condições físicas podem interferir nesse processo.

O diabetes pode causar neuropatia , um distúrbio nervoso que pode impedir a transmissão de mensagens entre o cérebro e o pênis. Sem uma comunicação adequada, os músculos e artérias não “saberão” que é hora de fazer sua parte. Acidente vascular cerebral e esclerose múltipla podem levar a problemas de comunicação semelhantes.

Homens com doença cardíaca podem ter problemas de aterosclerose – endurecimento das artérias. A aterosclerose estreita as artérias, bloqueando o trajeto do sangue no pênis. Diabetes, pressão alta e altos níveis de colesterol podem prejudicar o fluxo sanguíneo também.

ED também pode estar ligada a certos medicamentos, distúrbios hormonais, doenças renais e obesidade.

Em alguns casos, você pode optar por comprar suplementos para este fim, como comprar o macho macho ou suplementos a base de maca peruana.

Causas psicológicas

ED também pode ter raízes psicológicas. Conflito com um parceiro, um relacionamento infeliz, estresse e depressão podem prejudicar a capacidade de ereção de um homem. Alguns homens sofrem de ansiedade de desempenho, tão preocupados em agradar seu parceiro que eles são incapazes de obter uma ereção adequada.

Problemas sexuais passados, como abuso ou culpa sobre sexo, são outras possibilidades. Um homem também pode ter medo de ter um relacionamento sexual baseado em experiências passadas.

Às vezes, causas físicas e psicológicas combinam e pioram a função erétil. Por exemplo, um homem poderia ter bloqueado artérias de doenças cardíacas e ter estresse do trabalho. Ambas as situações podem unir forças e levar a ED.

Se você acha que tem disfunção, seu primeiro passo para o tratamento é consultar um médico.

Conversando com seu provedor de serviços de saúde

Um urologista pode avaliar sua situação pessoal e trabalhar com você para encontrar o melhor tratamento para você e seu parceiro, se você estiver em um relacionamento.

Muitos homens sentem-se nervosos e envergonhados em discutir a disfunção erétil com seu médico. Mas é importante fazer isso. Como discutido acima, a DE pode ser um sintoma de problemas de saúde mais sérios, como diabetes, doenças cardíacas e doenças renais. ED também pode sinalizar pressão alta, colesterol alto, baixa testosterona e obesidade.

Fazer um checkup com o médico pode beneficiá-lo de duas maneiras. Primeiro, se o seu DE for um sintoma de outra condição médica, você pode iniciar o tratamento para essa condição imediatamente e melhorar sua saúde geral. Em segundo lugar, tratar essa condição pode ser tudo o que você precisa para ter melhores ereções. Ou você pode começar o tratamento especificamente para disfunção erétil. De qualquer forma, você deve ver melhorias em sua vida sexual.

Por exemplo, controlar o nível de açúcar no sangue pode ajudar um homem com diabetes a ficar mais saudável por mais tempo e pode aliviar complicações como disfunção erétil. Se o problema de um homem é a obesidade, mudanças na dieta e exercícios podem estar em ordem. Ambos são susceptíveis de melhorar sua saúde e sua função erétil.

Então, como você inicia a conversa?

Respire fundo. é comum e, muito provavelmente, o seu urologista já o tratou antes.

Tem algumas perguntas prontas. Você pode anotá-las antes da sua consulta para ter certeza de que não se esquece de nada. Seu parceiro pode pensar em perguntas também. Sinta-se à vontade para fazer qualquer pergunta. Se algo está incomodando você, não se esqueça de falar! Esta lista de perguntas sobre ED (PDF) pode ajudá-lo a começar.

Você pode perguntar ao seu médico sobre a possível causa e que tipo de teste pode ser necessário para diagnosticá-lo. Você também pode perguntar o que você pode esperar do tratamento.

Lembre-se que ED pode ter muitas causas, incluindo psicológicas. Seu médico pode perguntar sobre suas experiências e relacionamentos sexuais passados. Seja aberto e honesto. Pergunte ao médico se o aconselhamento ou a terapia sexual são apropriados para você.

Frutas Secas tem o mesmo valor nutricional de frutas frescas

Um grupo de cientistas está recomendando que as autoridades de saúde passem a considerar as frutas secas nutricionalmente equivalentes às frutas frescas.

O trabalho analisou frutas secas tradicionais como damascos, maçãs, tâmaras, figos, uvas passas e ameixas.

“As frutas secas são ótimas fontes de fibras alimentares totais e solúveis,” disse o Dr. Daniel Gallaher, da Universidade de Minnesota (EUA). “Assim como as frutas frescas, que têm valores baixos de índice glicêmico e podem desempenhar um papel importante na prevenção de diferentes aspectos das doenças metabólicas.”

Polifenóis

Além de fornecer fibras, as frutas secas estão entre as principais fontes de potássio nas dietas de todo o mundo, segundo a Dra. Arianna Carughi, da Universidade Harokopio (Japão).

Os frutos secos também contêm uma grande variedade dos cada vez mais importantes compostos bioativos fenólicos, assim como vitaminas e minerais específicos, únicos para cada fruta.

“Há poucas dúvidas de que os polifenóis oriundos das plantas protegem contra doenças do coração. Seus efeitos na saúde são complexos e eles parecem funcionar de muitas maneiras diferentes, e não simplesmente como antioxidantes”, disse o Dr. Gary Williamson, da Universidade de Leeds (Reino Unido).

“Algumas frutas, incluindo as frutas secas, contêm altos níveis de uma variedade de polifenóis e nós estamos apenas começando a compreender o seu efeito protetor sobre a saúde,” prossegue Williamson.

Vantagens dos frutos secos

Os pesquisadores tentaram tanto esclarecer alguns equívocos, que têm perpetuado a ideia de que os frutos secos não são tão saudáveis quanto suas versões frescas, quanto destacar algumas vantagens exclusivas dos frutos secos.

“Nossa pesquisa com frutos secos (uvas de Corinto gregas) sugerem que elas inibem algumas formas de câncer in vitro“, disse a Dra. Kaliora.

“Embora os mecanismos sejam desconhecidos, os extratos parecem interromper a propagação das células cancerosas, causando a morte da célula cancerosa e suprimindo a inflamação.”

Comparação entre frutas frescas e frutas secas

Um dos problemas mais comuns com a comparação de frutos frescos e seus correlatos secos em termos nutricionais é a prática de igualar os dois tipos por peso – por exemplo, valores nutricionais para cada 100 gramas.

Como o peso da água é removido na secagem, o teor de açúcar das frutas secas parece desproporcionalmente alto, contribuindo para as mensagens confusas sobre a concentração de açúcar nas frutas secas.

No entanto, quando o tamanho da porção e o teor de água são levados em conta, o conteúdo de açúcares e calorias equivale precisamente, igualando frutas frescas e frutas secas.

As frutas secas já são incluídas junto com as frutas frescas nas recomendações nutricionais oficiais na Argentina, Austrália, Canadá, França, Alemanha, Itália, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

Comunicação, autoestima são importante para os orgasmos femininos

Uma equipe de pesquisadores compilou os resultados de cinco diferentes pesquisas de sexo realizadas ao longo de quatro décadas, a partir do início dos anos 70. Mais de 10.000 homens e mulheres participaram, e os pesquisadores se concentraram no orgasmo feminino. Eles publicaram suas descobertas em outubro de 2016 na revista Socioafective Neuroscience and Psychology.

Papel dos Parceiros: Sexo Oral e Estimulação Manual

Muitas mulheres atingem o orgasmo quando o parceiro realiza sexo oral ou estimulação manual (tocando os genitais). Embora nem todas as mulheres cheguem ao clímax dessa maneira, os pesquisadores descobriram que as mulheres que recebem esses tipos de estimulação sexual chegam ao orgasmo com mais frequência. Isso não significa que os orgasmos vaginais através da relação sexual sejam menos importantes ou prazerosos. É mais um lembrete de que existem muitos caminhos para o orgasmo.

O sexo oral foi particularmente útil para mulheres com baixo desejo sexual, bem como mulheres que tiveram problemas em falar sobre sexo com o parceiro, explicaram os autores. No entanto, muitas mulheres relutavam em pedir ao parceiro sexo oral.

A boa comunicação entre os parceiros era tão importante para os orgasmos das mulheres quanto a técnica sexual, revelaram as pesquisas. Enquanto parceiros hábeis eram úteis, discutir e encontrar maneiras de trazer prazer mútuo também era importante.

Auto-estima sexual

Mulheres com alta auto-estima sexual, que se sentiam confiantes sobre suas habilidades no quarto, tendiam a ter orgasmos com mais frequência. De fato, uma pesquisa descobriu que apenas 10% das mulheres que não achavam que eram boas na cama tiveram um orgasmo na última relação sexual. Dito isso, houve momentos em que uma boa comunicação com um parceiro compensava a baixa autoestima sexual, o que ajudava nos orgasmos.

Aceitar a si mesmo e ao próprio corpo, além de poder concentrar-se unicamente nas atividades sexuais, sem distrações, também aumentava as chances do orgasmo.

Fatores que podem inibir o orgasmo

O que torna as mulheres menos propensas a atingir o orgasmo? Estresse, fadiga e dificuldade de concentração estavam entre os motivos mais citados. Parceiros que eram menos habilidosos e aqueles que foram “muito rápidos” também poderiam interferir.

Outros fatores incluíram o seguinte:

  • Sentindo que o sexo não era importante para o relacionamento
  • Falta de intimidade física no relacionamento
  • Falta de desejo sexual
  • Falta de sexo oral ou estimulação manual
  • Secura vaginal, relação sexual dolorosa
  • orgasmo precoce do parceiro, curta duração da relação sexual
  • Relacionamento infeliz
  • Sentindo-se sexualmente indesejável
  • Problemas de ereção do parceiro
  • Doença
  • Orgasmos Múltiplos

Orgasmos múltiplos são mais comuns em mulheres do que em homens. Em uma pesquisa, 12% das mulheres disseram que tiveram dois ou mais orgasmos na última vez que tiveram relações sexuais. Em outro, mulheres que tiveram orgasmos múltiplos disseram que frequentemente usavam brinquedos sexuais e que suas atividades sexuais duravam mais de uma hora.

“Em muitos aspectos, as mulheres com múltiplos orgasmos exibiam fortes interesses sexuais e eram sexualmente muito ativas”, escreveram os autores.

Era e a idade

Os pesquisadores notaram que as mulheres com menos de 35 anos relataram mais problemas para atingir o orgasmo ao longo do tempo, especialmente desde a década de 2000. Esse achado foi interessante, já que a internet e outras mídias oferecem às mulheres muitas informações sobre orgasmos e sexo prazeroso. No entanto, estresse, vidas ocupadas e menos privacidade podem estar envolvidos, disseram eles.

Para saber mais sobre as mulheres, visite: treinart

Porque os cães gostam de roer?

Você já se perguntou por qual motivo os cães gostam de roer? Sabemos que uma das maiores queixas que nós donos fazemos é em relação a ânsia dos nossos bichinhos de estimação por roer as coisas que veem pela frente, isso acontece principalmente quando são filhotes.

Mas, porque será que os cães gostam de roer? Confira a seguir as razões para cães filhotes e adultos realizarem esse hábito.

Cães filhotes

Os cães filhotes, assim como as crianças, são curiosos e estão descobrindo um mundo novo cheio de atrativos para distrair sua atenção. Os cães gostam de roer nessa fase tudo que veem pela frente, seja móvel, sofá, travesseiros, paredes e outros.

Outro motivo para os cães gostarem de roer ainda filhotes é a troca dos dentes, que acaba incomodando o filhote e causando coceira na gengiva. Portanto, para os nossos bichinhos de estimação, roer algum tipo de objeto ajuda a evitar o incomodo e controlar a coceira.

Cachorros adultos

Cães gostam de roer desde filhotes, como mencionado anteriormente, esse hábito de roer objetos e móveis na fase adulta pode ser relacionado a diversos fatores.  Na maioria dos casos, os veterinários orientam os donos a observarem o comportamento, pois nessa fase podemos pensar que os cães gostam de roer e não dar tanta importância, quando na verdade o cachorro pode estar sentindo falta de vitaminas e minerais que são essenciais para sua saúde.

Em alguns casos o nosso bichinho de estimação pode até estar roendo algum objeto que tenha esses nutrientes. Isso faz lembrar outro hábito, que é quando os cachorros comem grama.

Mas, nem sempre os cães gostam de roer por conta de nutrientes que estão em falta, pois eles também realizam esse ato para limpar seus dentes retirando as impurezas presentes o que é uma espécie de “escovação natural”.  Normalmente, eles fazem essa limpeza roendo ossos, mas é preciso ter atenção porque não são todos os ossos que podemos dar aos nossos bichinhos de estimação.

O recomendado é comprar para cães que gostam de roer, ossos de pele de boi ou de plástico que são mais resistentes para cães de raças menores, para roerem e realizarem sua limpeza, além de se divertirem brincando com os objetos.

Como ajudar os cães que gostam de roer

Sabemos que algumas vezes é inevitável os cães roerem algumas coisas e ficamos um pouco irritados ao ver os sapatos, roupas e objetos que gostamos serem danificados. Mas, sabemos que não é culpa do nosso bichinho de estimação, já que eles fazem isso por necessidades.

O correto para não termos prejuízos e atender as necessidades do animal é deixar nossos objetos bem guardados e escolher o espaço ideal para cachorro em nossa casa, além de comprar os próprios objetos que são os “mimos” para cães que gostam de roer.

As visitas ao médico veterinário e exames de rotina do seu cachorro são essenciais, pois como podemos ver, o simples hábito de roer pode estar relacionado à falta de nutrientes.  E as consultas nos ajudam a ficar ciente da saúde do nosso cão e prevenir possíveis problemas.

Suplemento para fortalecer a memória – ActionPro

Esta tendo dificuldades para lembrar da coisas e precisa da ajuda de alguém para conseguir recordar datas importantes, como aniversário, reuniões e coisas do tipo?

Saiba que você pode fortalecer sua memoria com suplementos alimentares que ajudam a evitar a perda de memória. Suplementos como Actionpro, contam com extratos de Ginkgo e Ginseng que são raízes naturais que melhoram o fluxo sanguíneo no cérebro.

Você não precisa necessariamente está esquecendo das coisas para fazer uso do Actiopro, você pode consumi-lo simplesmente para manter sua memória funcionando no 100%.

Como o Actionpro é um suplemento natural, você pode fazer uso dele sem se preocupar com efeitos colaterais.

Além de conseguir melhorar sua memória e concentração, você ainda vai evitar futuros desenvolvimento de Alzheimer.

Se você fizer uso do Actionpro enquanto é jovem, vai economizar muito dinheiro no futuro com remédios para Alzheimer, pois o uso continuo deste suplemente vai prevenir o surgimento da doença.

Sobre componentes do Actiopro

Você sabia que o Ginkgo Biloba é um remédio poderoso, muito utilizado para melhorar o fluxo sanguíneo do nosso corpo, principalmente dos pequenos vasos?

Esse aumento do fluxo sanguíneo fornece mais nutrientes e oxigênio para o nosso cérebro, promovendo assim uma melhora significativa nos processos cognitivos.

Além dos seus benefícios mencionados acima, a Ginkgo biloba pode ser utilizada para prevenir casos de demência, principalmente em pacientes que já apresentam essa complicação.

Seu uso pode ajudar a tratar os sintomas da doença, mantendo-os estabilizados e evitando seu avanço.

Outro remédio natural para memória

Outros componentes naturais também ajudam a melhorar sua capacidade cognitiva, como o ômega, que é encontrado em peixes de águas frias, oleaginosos como castanhas e nozes e suplementos em capsulas.

Alguns estudos revelaram que o uso continuo de ômega 3 podem ajudar a melhorar a memória e prevenir doenças com Alzheimer.

Procure incluir alimentos que são ricos nesse tipo de gordura. Mas, cuidado para não exagerar na ingestão, por se tratar de uma gordura, você não deve consumir esses alimentos em grande quantidade para não prejudicar sua dieta.

Colágeno é bom para pele?

Quando pergutam se colágeno é bom para a pele é difícil de saber por onde começar responder essa pergunta. O colágeno é geralmente benéfico para a pele, pois ela desempenha um papel importante em manter a pele jovem e elástica. Mas colágeno não apenas beneficia a pele; alguns tipos de colágeno são voltados especificamente para a saúde da cartilagem ou tecidos, por exemplo. Então, qual é o melhor colágeno para a pele, especificamente, e o que você deve procurar em um colágeno ?

O QUE É COLÁGENO?

O colágeno é uma proteína que compõe a maioria dos tecidos conjuntivos, incluindo o cabelo, pele, unhas, ossos, articulações, órgãos e intestino. Em outras palavras, o colágeno é um componente importante de um corpo saudável, e oferece estrutura para células do tecido conjuntivo, garantindo que eles fiquem fortes e elásticas.

No entanto, depois de 25 anos de idade, as pessoas começam a notar efeitos do envelhecimento, como flacidez da pele, distúrbios digestivos e dores articulares, principalmente porque os níveis de colágeno começam a naturalmente diminuir. É por isso que o envelhecimento está correlacionada com a aparência de linhas finas e rugas na pele.

OS TIPOS DE COLÁGENO

Manter seus níveis de colágeno em alta é uma ótima maneira de promover uma pele bonita. Há mais de 28 tipos de colágeno, mas três tipos principais foram identificadas para ser usado em grandes quantidades pelo corpo.

  • O tipo I é o colágeno do tipo que faz a melhora dos cabelos, pele e unhas.
  • O Tipo II está associada principalmente com a cartilagem,
  • O Tipo III ocorre na medula óssea e reticular, e, muitas vezes, aparece ao lado de Tipo I.

Portanto, para a mais ampla gama de benefícios da pele, um suplemento contendo colágeno Tipo I é o melhor para consumir.

AS MELHORES FONTES DE COLÁGENO

Então, se você decidiu tomar colastrina, o melhor suplemento de colágeno do Tipo I, o que você deve procurar? Em primeiro lugar, é importante garantir que o colágeno vem de uma origem de alta qualidade. As Proteínas vitais’ Peptídeos de Colágeno são provenientes de grass-fed, enquanto que a maioria dos outros suplementos de Colágeno vem de selvagens pargo.

Na verdade, todas as Proteínas Vitais dos produtos são de origem responsável, e são feitos com ingredientes alimentares. Nossos produtos são regularmente testado para a qualidade e muitos são feitos com frutas orgânicas e vegetais. Nenhum ingredientes estranho ou açúcares adicionados aqui!

Como escolher o travesseiro ideal para você

Com o estresse presente na vida de todos diariamente o mínimo que podemos exigir é uma boa noite de sono. Para isso é essencial que o colchão e o travesseiro sejam adequados para o tipo de corpo e costume de cada um, caso contrário o cansaço e as dores no corpo serão inevitáveis.

As pessoas, no entanto costumam dar mais importância para o colchão do que para o travesseiro, sendo os dois de igual importância se tratando de uma boa noite de sono.

Mas para que serve o travesseiro? Para compensar os vãos gerados na hora de dormir, evitando que o peso da cabeça force a coluna cervical e a musculatura os mantendo alinhados e facilitando a circulação do sangue por todo o corpo.

Para não errar na escolha de seu travesseiro atente-se a alguns detalhes:

  • O travesseiro deve ter densidade suficiente para que a cabeça não afunde
  • Na posição que você costuma dormir o travesseiro deve ajudar a manter sua cabeça e coluna alinhados
  • Para quem dorme de lado, o travesseiro deve ser alto para compensar o vão entre cabeça e ombros
  • Para quem dorme de barriga para cima o travesseiro deve ser fino para compensar o espaço entre a nuca e o colchão
  • Travesseiro de espuma tende a diminuir de tamanho com o passar do tempo e deve ser muito bem cuidado para não provocar alergias, no entanto não pode ser lavado
  • Travesseiro de penas costuma a juntar as penas de um lado apenas, causando desconforto na hora de dormir. Deve-se ajeitar o travesseiro todos os dias para que isso não ocorra
  • Travesseiro de plumas de ganso é bem macio e dificilmente permite deformação. No entanto é um dos maiores provocadores de alergia
  • Travesseiro de algodão é ideal para épocas mais quentes por esquentar menos e também para pessoas alérgicas por não soltar fiapos
  • Travesseiro de látex é o que mais demora a afundar a cabeça, no entanto é o que melhor alinha o corpo deixando-o na posição correta. É também o mais indicado para alérgicos e pode ser lavado a mão
  • Travesseiro de visco-elástico é o mesmo material em que é feito artigos para astronautas e é um dos mais indicados pelos ortopedistas pelo seu conforto e por não deformar
  • Na verdade o que mais importa no travesseiro é a altura, que não pode deixar a cabeça caída ou muito elevada
  • Prove o travesseiro para comprovar a altura na loja antes de comprar, caso não tenha, teste na parede mesmo
  • Travesseiro de tamanho errado pode provocar: cansaço, dores no corpo, enxaqueca, insônia, má circulação do sangue, náusea, refluxo, sono leve, tontura, torcicolo entre outros

Como acelerar metabolismo lento

Os nossos corpos não estão habituados a comer tão poucas vezes (3 refeições por dia) – isto retarda o nosso metabolismo porque o corpo é levado a pensar que vai ter acesso a menos alimentos (refeições mais frequentes mas menores quantidades) e queima consequentemente menos calorias durante o dia para armazenar energia.

Cada refeição atual é “mais forte” – isto é, comemos mais em cada refeição (mesmo pensando que estamos a fazer menos refeições). Isto é interpretado pelos nossos físicos como uma medida de segurança – uma ordem para que armazenemos energia. Essencialmente, desde que começamos a comer “mais” por cada refeição e com menos refeições no total, os nossos corpos interpretaram isto como um sinal de que os alimentos já são escassos – deste modo fazem com que o nosso metabolismo queime menos calorias. Ou seja refeições maiores e mais espaçadas, podem fazer com que ganhe peso mesmo que pareça que está a comer muito pouco.

Os nossos corpos não estão habituados a comer dietas elevadas em hidratos de carbono – trata-se de uma transferência drástica relativamente à  dieta original em proteínas e gorduras (com poucos hidratos de carbono, excepto as frutas) e é interpretado por sua vez pelos nossos corpos como um sinal de que a nossa dieta “regular” não está disponível, pelo que os nossos metabolismos vão ter agora de ser reduzidos para uma velocidade mais lenta, a fim de conservar a “energia” até que possamos voltar à nossa dieta “normal”.

Quase que se pode dizer com isto, que esta mudança provocou no nosso metabolismo uma hibernação virtual!

Além disso, como os nossos níveis de atividade são hoje muito menores, não conseguimos “queimar” todo o conjunto de hidratos de carbono e as quantidades remanescentes vão-nos fazer aumentar vários quilos (mesmo que estejamos a consumir menos calorias do que é habitual).

Começando a se exercitar

Como a inatividade corporal não é uma estado natural – devemos exercitar-nos nem que seja por uma atividade ligeira -, pode levar a que o nosso metabolismo seja sobrecarregado e assim fazer com que

os corpos queimem mais calorias. Sem os mesmos níveis de atividade anterior (e como vivemos numa sociedade cada vez mais sedentarizada – o preço que pagamos pelo desenvolvimento tecnológico), queimamos menos calorias. Assim basicamente, os nossos metabolismos, por causa destas mudanças de hábitos alimentares, “estão a ser programados” para conservar as calorias. Ainda para mais a nossa falta da atividade física (desporto, exercício, trabalho manual, etc.) implica que estejamos a queimar muito menos calorias que ancestralmente.

Qualquer destes factos, poderiam ser controlados só por si. Se for pouco ativo pode provavelmente comer um pouco menos e mesmo assim controlar os danos, mas e se o seu metabolismo foi afetado seriamente pelas mudanças produzidas milenarmente nos hábitos alimentares, pelas dietas ricas em hidratos de carbono? Pode encarar seriamente a possibilidade de somente perder peso comendo menos (um processo que faça com que o seu metabolismo seja retardado mesmo a fundo e prejudique ainda mais o seu peso)?

O nosso metabolismo “tem sido forçado permanentemente” a conservar calorias, e os nossos hábitos alimentares são os culpados principais por via duma evolução social de milhares de anos. Esta é uma razão muito válida para justificar por que é recomendado o exercício como sendo o melhor método de perder peso – sem qualquer pressão externa no nosso metabolismo, não há mais nada nos nossos hábitos alimentares que possa retificar os desequilíbrios do nosso metabolismo, causados pelo desequilíbrio da equação basilar.

No artigo seguinte, falar-lhe-ei das etapas específicas que necessita percorrer para mudar os seus hábitos alimentares, recarregando o seu metabolismo de modo a que possa manter ou reduzir seu peso atual, quase sem se esforçar e à sua vontade. De facto, vou-lhe mostrar como perder peso de maneira segura fazendo apenas algumas pequenas mudanças no seu estilo de vida, tudo isto sem o obrigar sequer a fazer nenhum exercício.